Dicas de VestibularConcorrer a uma vaga em universidades públicas e em algumas faculdades é um desafio para todos que estudam para o vestibular. As universidades públicas, como as mais concorridas, oferecem um ensino gratuito e se destacam pela sua qualidade.

Em época de vestibular ou mesmo antes, no pré-vestibular, os candidatos passam por um campo de batalhas quando investem nos estudos. Cursinhos, cursos online, dicas, alimentação, livros e outros itens se encontram na cabeça de um vestibulando.

Inicialmente, com a história do vestibular, a necessidade de encontrar pessoas preparadas para executar determinados serviços para os chineses foi uma alternativa de seleção e o método foi se espalhando para outros países, até chegar ao Brasil, em 1837 nas escolas de elite.

A partir daí, o sucesso dos exames preparatórios intitulados mais tarde de vestibular - foi chamando a atenção de universidades e trazendo consigo um problema: o método "nota mínima" classificava muitos candidatos e isso não correspondia ao número de faculdades cadastradas. Com isso, o governo implementou uma lei para melhorar a situação.

A educação é uma das bases que constitui a história de uma civilização e é um item importante. Com as provas de vestibular, cada faculdade ficou responsável por realizar diferentes métodos e, com o passar dos anos, foram inovando nas formas de avaliação.

As universidades e faculdades foram crescendo no Brasil e a disputa entre os cursos começaram a ser mais frequentes. As universidades empenhadas em levar o melhor para o estudante, assim como os cursos preparatórios que trazem novidades para os candidatos, mostram que, para um aluno passar numa prova de vestibular, é necessário ter um foco. Para a prova de vestibular, confira as dicas para redação, os problemas mais comuns que o vestibulando enfrenta, dicas para o dia da prova e algumas perguntas que merecem destaque para estar informado profundamente sobre questões referentes ao exame.

Outro fato são as bolsas de estudos, procurar universidades no exterior para fazer pós-graduação e ou graduação, ou mesmo aqui no Brasil. Isso pode ser uma oportunidade para ingressar na universidade. 

Por que Fazer Vestibular?

Por que inventaram o vestibular? Não é mais fácil trabalhar, ficar sem uma graduação, simplesmente montar um negócio próprio e ter sucesso na vida?

Para entender esses questionamentos, vamos conhecer um pouco sobre a história do vestibular.

História do Vestibular

Foi com os chineses, no século X, que surgiram exames elaborados pelos imperadores da dinastia Sung. O objetivo do sistema era selecionar futuros funcionários. As provas eram difíceis e os critérios de avaliação eram severos para impedir a fraude. Na Europa, esse sistema de seleção chegou depois de oito séculos e após a revolução francesa.

Em meados do século XVIII, surgiram os exames preparatórios no Brasil. Porém, somente em 1837, esses testes foram incorporados nos colégios de elite. Naquela época, os exames não eram tão concorridos como atualmente.

Em 1911, foi instituída uma lei que obrigava à realização de exames preparatórios para os estudantes. O desafio havia começado para os jovens e os testes eram realizados em duas etapas, uma escrita e dissertativa e outra oral. O nome vestibular surgiu após o decreto nº 11530, em 1915.

Em São Paulo, na década de 60, com a criação da Fundação Carlos Chagas, surgem os testes de múltipla escolha, as famosas perguntas objetivas, que ganharam o auxílio da informática.

A Universidade de São Paulo (USP) foi uma das primeiras a utilizar esse sistema em seu curso de medicina. E, com o sucesso das provas de vestibular mais candidatos optaram pelos exames, que foram se aprimorando. Apesar da grande euforia dos vestibulares, o critério de avaliação que até então era chamado de nota mínima trouxe problemas: o número de pessoas aprovadas não correspondia o número de faculdades cadastradas. Os candidatos que foram excluídos, por causa disso, realizaram um movimento nacional. Para solucionar o problema, o governo implementou a lei nº 5540/68, cujo sistema classificatório seria o de corte por nota máxima.

Foi na década de 70 que, da necessidade de um novo sistema para organização, surgiu a Comissão Nacional do Vestibular Unificado. E, em 1976, a USP criou a FUVEST (a primeira prova realizada foi somente no ano seguinte), onde, por meio dela, candidatos de outras instituições estaduais seriam avaliados. Em 1994, foi acrescentada a essa prova, questões de conhecimentos gerais e a primeira fase passa a ser eliminatória.

Apesar de instituída a lei, ainda haviam muitos candidatos sem vagas nas escolas públicas e o Ministério da Educação tomou medidas que autorizavam a abertura de universidades particulares. De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, de 1996, o governou definiu que o sistema federal de ensino é formado pelas instituições mantidas pela União e as instituições de ensino superior criadas e mantidas pela iniciativa privada e os órgãos federais de educação. A partir desse momento, cada entidade pôde escolher o sistema de ingresso que lhe fosse conveniente.

Em 2007, segundo o levantamento feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio TeixeiraINEP, 2.141 universidades privadas se localizavam no Brasil. Infelizmente, muitos ainda não têm a oportunidade de cursar uma faculdade. Mas, como prevê a Constituição Federal, é dever do Estado e direito do cidadão receber a educação. Ela é primordial na vida de qualquer ser humano. Com ela, uma nação se desenvolve, aumenta renda e, consecutivamente, a qualidade de vida. 

O quadro da educação no Brasil ainda não é satisfatório. A taxa de analfabetismo em 2009, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é de 9,7%, ou seja, um total de 14,2 milhões de pessoas. Até 2015, o Brasil quer chegar à taxa de 6,7%. Essa é uma das metas definidas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Ainda de acordo com os dados, em 2009, 36,9% das pessoas de 25 anos ou mais possuiam ensino fundamental incompleto ou equivalente. Em comparação aos outros anos, é perceptível que essas taxas vêm diminuindo.

Apesar disso, o índice de repetência existente no Brasil representa um dos maiores da América Latina e Caribe. Cerca de 24,5% repetem a primeira série do Ensino Fundamental. É o que aponta os estudos sobre a "Situação da Educação na América Latina e Caribe 2010", feito pela UNESCO.

“Há dois desafios fundamentais na educação na América Latina. Um é acesso igualitário à educação; o outro é a qualidade dessa educação. A igualdade é um desafio não só no Brasil e não só na América Latina, mas também em outros países. O desenvolvimento econômico rápido deixa problemas de desequilíbrio. Algumas pessoas se tornam rapidamente ricas, mas outras são deixadas para trás”. Qian Tang, diretor geral adjunto de Educação da UNESCO.

Perguntas para o Estudante

Em qual profissão você deseja trabalhar?

O mercado de trabalho, atualmente, apresenta taxas de emprego mediana. Com um índice de 6,7%, de 2010, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - IBGE, a crise do desemprego está diminuindo. Apesar disso, o Brasil ainda é considerado o país com a 10ª maior taxa de desemprego do mundo. Mas qual a melhor profissão a escolher? Será que estaremos fugindo da taxa de desemprego?

Primeiro decida, pesquise e depois busque escolher uma profissão que entre em equilíbrio com os seus interesses pessoais, profissionais e financeiros. Se escolher uma profissão só por causa dos benefícios financeiros, apesar das somas de dinheiro, você pode vir a ser um profissional frustrado.

As empresas não estão somente se preocupando com o trabalho em si, o produto final, mas também com os colaboradores. Qual será o perfil que o mercado está exigindo dos jovens universitários? Quem deseja garantir sua profissão, não basta ter o conhecimento: é preciso ter a prática, ter a competência para realizar determinada função.

De acordo com a revista carreira Você S/A, o primeiro ponto a ser destacado é a capacidade de um profissional ser multitarefa, aquele que sabe de tudo um pouco na hora de executar o serviço. Outro ponto é a tecnologia: é preciso ter um bom curso de informática e estar atento às atualizações tecnológicas para avançar junto com a empresa.

Outro fato é a capacidade de trabalhar em equipe. Muitos jovens estão acostumados a viver em grupos separados de uma parcela da população. Jovens que, se não forem bem preparados, poderão acabar gerando conflitos de relacionamentos dentro de uma empresa. Empresas procuram líderes capazes de influenciar e tomar decisões certas.

Em muitas entrevistas de emprego, você poderá ouvir perguntas como: Quem é você? Quais os seus pontos fortes e fracos? E a resposta estará baseada no seu autoconhecimento. Isso irá te destacar como um profissional. Infelizmente, muitos jovens aparecem despreparados em suas entrevistas de emprego e são descartados do perfil exigido. Portanto, seja você e não fique querendo dar respostas que você ouviu de outra pessoa.

Por último, seja empreendedor: empresas procuram pessoas com ideias. Volte o seu foco para a questão ambiental, pense verde e contribua para ajudar o meio. Você pode não ter sido um sucesso no vestibular, mas se for um bom profissional e der o melhor em qualquer empresa que estiver, sem dúvida você conseguirá dinheiro para pagar uma faculdade e ingressar para a escola da vida.

Quem tem direito a isenção de taxa?

As taxas de isenção são disponibilizadas para alunos que não possuem condições de pagar o vestibular, ou no caso do ENEM, para alunos que estudam ou estudaram em escolas públicas.

Qual a diferença entre curso de graduação, tecnológicos, sequenciais?

Os cursos de graduação são aqueles que duram em média de 4 a 6 anos. Já os cursos tecnológicos são mais simples e duram de 2 a 4 anos. Há ,ainda, os cursos sequenciais, cursos de formação específica, oferecidos por faculdades privadas e que duram 2 anos.

Qual a diferença entre Mestrado, Doutorado e Especialização?

Os cursos de pós-graduação são divididos em dois: Lato Sensu (cursos de extensão, aperfeiçoamento e especialização) e Stricto Sensu (curso de Mestrado Profissionalizante, Mestrado e Doutorado). No Mestrado e no Doutorado, o aluno deve produzir uma dissertação ou tese, apresentar e defender a sua ideia para obter o título. O Mestrado profissionalizante consiste num curso teórico, cujo foco está mais no mercado de trabalho. Já o Mestrado acadêmico está voltado para o ensino e a pesquisa. Com ele, você será Mestre em determinada área do saber e poderá lecionar.

O Doutorado forma pesquisadores e está totalmente voltado para a vida acadêmica, buscando o aprofundamento em uma determinada área. Há opções variadas de fazer pós-graduação. Há Faculdades que oferecem bolsas de estudo, as Universidades públicas não cobram. Nas particulares, o valor pode variar, dependendo dos créditos obtidos pelo aluno.

Dúvidas do Vestibular...

Passar ou não no vestibular só dependerá de uma coisa: você! 

Força de vontade e dedicação são um dos ingredientes que garantem o sucesso. As universidades públicas são as mais concorridas em comparação às faculdades particulares; porém, busque sempre e acredite que você é capaz. Vale também na escolha pela Universidade, procurar orientações profissionais. Há algumas que oferecem, nos cursos de Psicologia, atendimento para os indecisos.

O que fazer quando você é obrigado a cursar uma Faculdade que não quer, pois seus pais te obrigam? Setenta e cinco por cento das suas decisões são influenciadas por seus pais e outras pessoas ou porque eles fizeram aquela faculdade ou porque eles sonham em ver você fazendo que eles não fizeram. Jovem vestibulando, tenha calma.

A melhor maneira de explicar aos pais qual rumo você quer seguir é mostrando para eles o quanto será precioso para você decidir o seu futuro. Grosserias, tapas, chineladas à parte, respeite-os e conquiste o carinho. Além do mais, todos passamos por problemas sempre e não será isso que irá te impedir de fazer uma escolha. Só depende de você!

Matérias que Caem no Vestibular

As matérias do vestibular são todas aquelas que você estudou durante o seu Ensino Médio e Fundamental. É claro que há determinados detalhes que não estarão na lista de estudos, mas procure sempre estudar o essencial.

Estudos e o Futuro Profissional

A concorrência, tanto em relação ao número de pessoas inscritas, quanto ao nível da qualidade do estudo, cresce a cada ano. A opção é estudar e passar ou estudar e estudar.

Estudar e Passar ou Estudar e Estudar

A grande diferença está em como você irá se preparar para estudar. Há pessoas que estudam muito e não têm sucesso com sua nota. Há outras que estudam certo e têm vaga garantida no curso selecionado.

Nesse contexto de disputas, os vestibulares se aperfeiçoaram e essa necessidade pelo estudar certo acabou impulsionando o surgimento dos cursinhos pré-vestibulares. Aulas práticas com simulados, revisões, aulões, fórmulas e regras decoradas de forma divertida, matérias passadas rapidamente e com eficiência. Pessoas de todas as idades e de todos os níveis buscam nesses cursinhos a preparação, não só para o vestibular, mas para sua futura profissão. No ambiente dos pré-vestibulandos, ainda existe muita pressão e concorrência.

Mesmo antes desses preparatórios, estudantes são preparados no Ensino Médio. O problema é quando não existe essa preparação e nem ritmo de estudo. Para quem quer começar do zero, as coisas parecem não ser fáceis, mas isso irá requerer do candidato inovação e criatividade. Inovação para fazer as coisas diferentes e estudar de um modo novo e criatividade para reaprender tudo o que você não aprendeu no Ensino Médio.  

O Futuro para o Vestibulando

Entre os 17 e 18 anos, o momento é de decisões. Antes disso, já existem pessoas tão capacitadas que já conseguem escolher e inclusive passar num vestibular estando no Ensino Médio.

Somos influenciados por pessoas que nem sempre oferecem as melhores opções para nós: "melhor profissão é a que oferece melhor salário", "escolha a mais fácil de passar" , "o filho do meu irmão cursou tal faculdade e cresceu na vida", etc.

Tenha Identidade

Antes de tudo, o primeiro passo para escolher uma faculdade é ter uma: Identidade.

Cada candidato deve se conhecer para poder decidir. Ter identidade é saber quem você é, saber os seus gostos, sonhos e desejos. A grande pergunta é: Quem nós somos? Onde estamos? Onde queremos chegar? Nessas horas, precisamos traçar metas em nossa vida, pois a escolha da profissão é o primeiro desafio que o estudante passa antes de fazer o vestibular.

Trace Metas

Na administração por objetivos, criada por Peter F. Druker, a administração e os funcionários devem trabalhar de forma que eles compreendam os objetivos da organização e desempenhem seus cargos em função desses objetivos.

Da mesma forma que ele utilizou desses princípios para resolver os problemas de muitas empresas, nós podemos fazer uso deles na vida pessoal. As metas podem ser classificadas em:

  • Atingíveis – baseadas na realidade.
  • Mensuráveis – quanto gastaremos e como faremos.
  • Específicas – saber o que é.
  • Temporais – o prazo que usaremos para atingir.

“Metas são sonhos com datas marcadas”. Então, focalize em uma meta específica: “Decidi cursar Jornalismo”. Tenha a certeza que essa meta pode ser atingível, tanto em questões financeiras (metas mensuráveis), quanto na questão tempo x estudo e estipule um prazo.

Corra Atrás do Seu Curso

Corra literalmente atrás do curso que você quer, busque informações para decidir melhor, veja os que você tem mais afinidade, e responda às perguntas:

O que eu sei fazer melhor? Use, para a escolha da profissão, aquilo que sabe fazer. Quais são as minhas competências e habilidades?

Aprendenda a se Conhecer

De acordo com os quatro pilares da educação, conceitos aplicados no Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, coordenada por Jacques Delors, esses fundamentos propõem uma educação que produz competências para o futuro. Agregar grandes volumes de informação e não ter habilidade para executar uma profissão não irá representar um bônus no currículo. Segundo Jacques, a educação deve se organizar de acordo com quatro aprendizagens fundamentais: Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver com os outros, aprender a ser. Veja no quadro:

Quando estamos no Ensino Médio, somos educados por diferentes métodos e isso pode interferir no processo de escolha. Há alunos mais aplicados que, com perguntas certas, no momento certo fazem toda a diferença. Mas, há aqueles que caem de paraquedas nas aulas e precisam revisar suas escolhas. Procure estudar utilizando as aprendizagens citadas. Os testes vocacionais também ajudam os candidatos a escolher. Neles, são relacionados os tipos de personalidade e características de uma pessoa com as profissões que se adaptem a cada perfil.

Mesmo após você ter decidido a profissão, tido sucesso no vestibular e estar cursando uma faculdade, se não estiver se identificando, seja um bom profissional e mude de curso!